Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2009

O CHAVEZ TÁ CERTO

Hugo Chavez, presidente da Venezuela, em poucas palavras resumiu o clima reinante em Copenhague: ele disse que se o clima fosse um banco, já teria sido salvo.. Nem precisa refletir muito, basta só lembrar o corre-corre que foi no ano passado, com a quebradeira dos bancos americanos. Os gringos apertaram os cintos, acenderam vela para Deus e o Demônio, dançaram o miúdinho, fizeram de tudo para salvar o sistema bancário. E não foi só lá - o dito Primeiro Mundo se mobilizou como nunca para garantir a grana em seus cofres fortes. E se a crise se repetir, farão o mesmo e muito mais, se necessário for. Como cantava Liza Minelli, em "Cabaré": "money makes the world go around" e não tem conversa, não, bugrada.

Porém, tratando-se do clima, o babado é outro e, no fundo, todos sabemos que é uma questão de grana. Todos farão tudo, desde que não tenha que desembolsar nadinha, desde que seus lucros e interesses não sejam afetados. Tem sido assim desde os tempos de Aristóteles, não sei porquê mudaria, agora. O assunto "saúde da Terra" somente será cogitado com seriedade, quando a água estiver batendo na bunda, e olhe lá. Ontem, fui ver o "2012". É uma recriação da Arca de Noé, com toques de modernidade. Os efeitos especiais são ótimos, a destruição de Los Ângeles é divina, quase entrei em transe. Contudo, na hora de escolher quem entra, quem fica de fora, é que é mostrada toda a pequenez e mesquinharia dessa raça, dita humana. Só os mais endinheirados se salvam. Para não deixar a coisa assim, tão nua e crua, um cientista faz um discurso, pró abertura da porta da arca. Todos ficam comovidos (coisa mais ridícula) e no final, a bugrada que estava out the Arca, consegue entrar e se salvar. Foi quando percebi que o filme tinha debandado para a ficção barata.

Eu ainda digo o que disse posts atrás - o ser humano tem uma vocação inata para o mal. É como um Midas, ao contrário. O que Midas tocava, se transformava em ouro. O que tocamos, se transforma numa coisa mole, amarela e mal cheirosa. Voltando ao filme - depois de mil e uma dificuldades, uma das arcas consegue se ajeitar no meio daqueles tsunamis gigantescos e seus passageiros são salvos. Podem, então, deixar a arca e repovoar a terra.E o filme termina, com a porta da arca se abrindo, e todo o mundo, com cara de beato, contemplando a nova terra. E eu pensando: "ai, meu Deus, vai começar tudo de novo" Razão tem minha amiga, Naja Maria. Na na hora "H", quando a coisa desandar, ela disse que vai botar um modelito de periguete, um par de óculos escuros de camelô, chinelinhos havaianas da hora, agarrar um negão grandão e gostosão e sair cantando:"é com esse que eu vou sambar até cair no chão". Fazer o quê, gente - a carne é fraca.

publicado por cacá às 01:10
link do post | comentar | favorito
|

mais sobre mim

pesquisar

 

Maio 2015

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

posts recentes

TESOUROS PERDIDOS

I WON'T CRY FOR YOU, ARGE...

VOLTEI PRO MORRO

SE...

SOSSEGADO E CRUCIFICADO

AO SUL DO EQUADOR

HABEMUS DILMA

FILHO DE PEIXE, NEM SEMPR...

arquivos

Maio 2015

Julho 2014

Abril 2014

Junho 2011

Março 2011

Novembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

tags

todas as tags

blogaqui?

já visitaram esse blog

subscrever feeds